Praia de Iracema

Praia dos Amores Que o Mar Carregou

Por Jornalista Assis Lima
Publicado: 13/08/2020

Praia de Iracema

Antigo Porto de Fortaleza

           As obras do primeiro porto de Fortaleza foram iniciadas em dezembro de 1805 sendo concluída em 1807 no sítio chamado Prainha, em Fortaleza, com a construção de um trapiche.
Outros trapiches foram construídos mais tarde. Um deles pelo inglês Henry Ellery, o chamado trapiche do Ellery, a que se referem os historiadores e cronistas, e estava localizado na mesma área, construído provavelmente no ano de 1844. Existe documentação da construção de um terceiro trapiche concluído em 21 de junho de 1857, tendo como construtor Fernando Hitzshky, medindo 154m (cento e cinqüenta e quatro metros de comprimento) por 17,60m (dezessete metros e sessenta centímetros de largura), porém devido ao assoreamento por volta de 1870, já não havia mais condições de funcionamento em maré baixa, por isso devido as dragagens, o local foi batizado de “Poço das Dragas”.

Inicio das Construção da Ponte metálica

         Sir John Mawkshaw em 1875 propôs a construção de 670 m de extensão no antigo porto ligado ao litoral por um viaduto e, isto mobilizou também o Diretor em Chefe da Estrada de Ferro de Baturité*, o engenheiro Carlos Alberto Morsing para obter o aval do Imperador D. Pedro II e assim construir e, foi quando aos 17 de dezembro de 1878, foi inaugurado um Ramal Ferroviário com o objetivo de comercialmente ligar o porto de Fortaleza (então Poço das Dragas) ao interior do provinciano Ceará, cuja finalidade era o escoamento das safras de café, algodão e o pastoreio.

Ponte Metálica com os trilhos do Trem

*Depois RVC, RFFSA, CFN e hoje Transnordestina Logística e Metrô de Fortaleza).

Visando algumas vantagens, fora conseguida autorização do Ministério da Agricultura (à época), e o ramal prolongou-se até a Alfândega sendo entregue ao tráfego no dia da pátria de 1879, quando passou a funcionar a Estação Ferroviária da Marítima. A extensão deste ramal era inicialmente 1,62 km numa tangente de 200 m, saindo da estação Central pela Rua do Cemitério (Padre Mororó) cortando a propriedade da Família Torres, atual Bairro Moura Brasil.

Em 1887 foi criado em Londres a companhia The Ceará Marbour Corpocition Limited que iniciou a construção do viaduto, conforme a proposta de 1875, mas aos 432 m as mesmas foram suspensas, pois datado o ano de 1897, o acúmulo de areias não permitia bom funcionamento.

Em dezembro de 1902 foram iniciadas as obras do Viaduto de Desembarque, a princípio com piso era de madeira. Havendo depois a substituição do piso por chapas de aço, a mesma recebera o apelido de Ponte Metálica, cuja inauguração oficial data de 26 de maio de 1906. As obras tiveram como responsáveis os engenheiros Hildebrando Pompeu (Cearense) e o escocês Robert Grow Bleasby. Os passageiros e cargas nesta ponte eram embarcados nos barcos e alvarengas até os navios que, ficavam ao largo.

Ramom Point da Boemia Fortalezense

 Com sua estrutura comprometida, a ponte metálica em 1921 recebeu revestimento de concreto cobrindo toda a armação metálica. Depois o atual Dnocs que, na época era Inspetoria Federal de Obras Contra as Secas - IFOCS resolveu reconstruir o Molhe de Desembarque, cuja responsabilidade foi do engenheiro Francisco Sabóia de Albuquerque.

A reinauguração foi no dia 24 de fevereiro de 1929, com o nome de Viaduto Moreira da Rocha como uma homenagem ao Ex-presidente do Ceará. Os trilhos da RVC tiveram de sair da Rua da Praia (Pessoa Anta) e serem desviados por detrás do prédio da Secretaria da Fazenda, e assim o trem passar a trafegar sobre a ponte metálica até um guincho que, existia na ponta do antigo porto. Os trilhos passavam defronte do Pavilhão Atlântico, restaurante situado na entrada da mesma.

 

Sobre a Ponte dos Ingleses

Com a finalidade de desafogar a Ponte Metálica, convém salientar de que, outro estudo sobre o porto havia sucedido como aconteceu em 1920, quando o Decreto n: ° 14.555, de 17 de dezembro do mesmo 1920 aprovou o famoso projeto, então Inspetor Federal de Portos, Rios e Canais da autoria de Lucas Bicalho. Daí o nome Viaduto Lucas Bicalho.

 As obras portuárias foram contratadas com a sociedade inglesa NORTON GRIFFTHS & COMPANY LIMITED. Os trabalhos de construção do que viria a ser chamada a PONTE DOS INGLESES, ficaram a cargo do engenheiro J. H. Kirwood, assessorado por George Ivan Copo, Robert Grow Bleasby e Sebastião Flageli.
        O início da construção ocorreu em março de 1923, contando a cerimônia com as presenças do Dr. Justiniano de Serpa, Presidente do Estado, secretários, autoridades e convidados especiais.

Governava o País o Presidente Artur Bernardes da Silva que, posteriormente mandou suspender as obras, quando a mesma já estava com trezentas estacas de mar adentro, na alegativa da falta de crédito no orçamento e assim, a mesma fora entregue às intempéries. Portanto vamos agora corrigir esse erro cometido na história. A Ponte Metálica foi o antigo porto, e a Ponte dos Ingleses nunca funcionou.

Viaduto Lucas Bicalho
Nunca Funcionou

Aos 4 de outubro de 1994 aí sim sob o som da Banda tabajara, foi inaugurada a Ponte dos Ingleses como um ponto de turismo e lazer. A abertura do evento contou com show dos músicos Elismário, Lucide e da orquestra Tabajara que, fora regida pelo maestro Severino Araújo. Era governador tampão o Desembargador Francisco de Oliveira de Barros Leal (Presidente do Tribunal de Justiça do Ceará), que tinha assumido o cargo após a efêmera administração de Francisco de Paula Rocha Aguiar (Chico Aguiar).

A beleza do litoral cearense favoreceu a atividade turística, por isso cada praia, continua sendo cartão postal. Por sua Boemia, a praia do Porto, antiga Praia do Peixe, e que no final do século XIX, os tradicionais chamavam Praia do Ceará, fora denominada de Iracema aos 07 de maio de 1925, quando já existia o Restaurante Estoril, ou seja, a Vila Morena de José Magalhães Porto que em 1920, fora construída em taipa.

O Belíssimo Estoril

 

A boemia fortalezense para lá se dirigiu. Fora construídos restaurantes tais como o do Ramon e também virou um residencial romântico e pacífico tendo seu silêncio quebrado apenas com o marulho das vagas. As famílias de nossa Fortaleza antiga caminhavam pelas suas areias, ao apreciar as belas ondas, barcos e navios dançando no porto ancorados; tinha muito atrativo para o amor.

Lazer dasFamílias na Tardes de Sábados e Domingos.

 

“Adeus adeus

Só o nome ficou;

Adeus Praia de Iracema

Praia dos amores

Que o mar carregou”.

 

Luís Assunção, músico maranhense

Cartão Postal